Política

Daniel: “Vamos implantar uma nova política de valorização dos servidores”

8.23.18_daniel concede entrevista na radio sagres 730

 Candidato a Governador Daniel Vilela em entrevista

Daniel: “Vamos implantar uma nova política de valorização dos servidores”

 

O candidato ao governo pela Coligação Novas Ideias, Novo Goiás, Daniel Vilela (MDB), falou na manhã desta quinta-feira (23), durante sabatina na Rádio Sagres 730, sobre suas propostas para a valorização dos servidores do Estado. O emedebista pretende implantar uma nova política de valorização do funcionalismo, aliada à otimização dos recursos do Estado. “Pretendo fazer um redesenho do organograma funcional do Estado. Este governo que aí está há 20 anos, na tentativa de demonstrar para a população uma reciclagem, promoveu uma reforma para inglês ver. Não teve funcionalidade gerencial e não observou a efetividade entre o plano estratégico e as ações.”

 

Entre as propostas do candidato está a ocupação de 50% dos cargos comissionados do Estado por servidores efetivos. “Vamos direcionar 50% dos cargos comissionados para ocupação por servidores efetivos, que passarão por processo de certificação e habilitação. Nós vamos criar um banco de talentos porque sabemos que temos entre os servidores efetivos pessoas altamente qualificadas e que estão sem oportunidade de liderar e desenvolver projetos.”Ideia semelhante foi apresentada por Daniel em 2011, quando ele era deputado estadual, mas o projeto foi vetado pelo então governador Marconi Perillo (PSDB).

 

O candidato criticou ainda a ocupação política de cargos que são importantes para o desenvolvimento do Estado e a prestação de serviços de qualidade para a população: “Hoje algumas funções estratégicas para o Estado e a população estão sendo ocupadas por critério político e não técnico. É isso que vamos mudar e é disso que falamos quando falamos em menos política e mais trabalho, mais gestão.”

 

Daniel falou sobre a redução da máquina administrativa, observando sempre a máxima de produzir mais com menos. “Iremos também promover a redução de uma série de órgãos que se tornaram cabides de emprego, como a Goiás Gás, a Goiás Parcerias, a Metrobus e grupo do VLT, um projeto que já foi abandonado pelo governo e que ainda gera despesa para o cidadão goiano.” No lugar destas estruturas sem função, o emedebista vai criar pastas orientadas para a vocação econômica do Estado. “Vamos criar a Secretaria do Agronegócio e recriar a de Indústria e Comércio, porque o agronegócio é o principal motor da economia do nosso Estado e entendemos, na questão industrial, que o Estado precisa ter foco na geração de emprego e renda.”

 

Questionado pelos jornalistas, Daniel disse que vai manter os programas sociais e usá-los para melhorar a atenção do Estado para com o cidadão. Os cadastros dos programas sociais serão integrados e isso permitirá ao Estado agir cirurgicamente no auxílio às famiílias necessitadas. “Filhos dos beneficiários dos programas terão prioridade em outras ações de inserção social, como na qualificação profissional, para que consigam sozinhos manter seu sustento. As conquistas serão mantidas, mas Goiás precisa avançar com novas pessoas e novas ideias.”pontuou 

 

 

0 Compart.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *