Destaque

Na nova TBC, José Eliton afirma que equilíbrio das contas é prioridade número um

WILD2661-01

Governador José Eliton na TBC foto Wildes Barbosa

Ao participar do programa Roda de Entrevista desta terça-feira (10/04), da nova TBC, o governador José Eliton declarou que a austeridade fiscal será uma ação perene no seu governo. “A prioridade número um é manter o equilíbrio das contas e a saúde financeira do Estado, mesmo porque sem isso não temos condições de realizar políticas públicas”, ressaltou. Segundo lembrou, o orçamento do Governo do Estado foi feito levando em conta a arrecadação real, em que as despesas correspondem exatamente às arrecadações, que serão da ordem de R$ 24 bilhões.

José Eliton observou que ao assumir o governo não pode se valer da desculpa de que “o estado está engessado” ou que “não conhecia o orçamento”, como sugeriu um dos entrevistadores. “Eu ajudei a construir todo o orçamento que foi apresentado à Assembleia e foi aprovado; eu tive inclusive o papel de fazer a apresentação da proposta orçamentária”, disse o governador, lembrando que, pela primeira vez, o orçamento foi feito sob um novo paradigma, o mesmo de países da Comunidade Europeia.

“É um orçamento extremamente enxuto e que nos dá a ciência inteira do cenário econômico por que atravessa o Estado de Goiás”, explicou. Manter o equilíbrio entre essas contas é uma meta: “Eu tenho a convicção de que teremos condições de garantir o pagamento das obrigações do Estado em dia, vamos trabalhar com esse foco; e, naturalmente, fazer investimentos”.

Segundo José Eliton, já há todo um portfólio de recursos para investimentos, seja do tesouro estadual, de parcerias com o governo federal ou oriundos de operações de crédito realizados pelo estado e que “propiciará a continuidade de ações, principalmente do Goiás na Frente, que é o maior programa de investimentos em curso no país”, ressaltou.

Na mesma entrevista, lembrou os esforços do Governo do Estado ao promover o ajuste fiscal na transição do governo de 2014 para 2015, de forma a assegurar ao Estado impactos mínimos da crise econômica brasileira e, ainda, possibilitar os investimentos futuros. “Foi uma ação preventiva, exatamente com olhar na saúde financeira do estado”, observou.

Segundo Eliton, é a saúde financeira que permite o pagamento em dia ao servidor, o pagamento dos fornecedores, daqueles contratados no serviço público, que permite a oferta de serviços públicos de qualidade à população. “Por isso, estamos atentos a essa questão, para que Goiás continue seguindo na trilha das suas obrigações sendo honradas a tempo e a modo”, completou. fonte gab.governador

0 Compart.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *