Política

Base Aliada em Dilema.

Os principais partidos que dão sustentação ao governo – PSDB, PSD, PP e PTB –, e os secretários que atuam na coordenação política do Palácio Pedro Ludovico Teixeira – aguardam, com expectativa, a definição do governador Marconi Perillo sobre seu projeto de concorrer à reeleição – seria a quarta candidatura ao governo goiano –, mas, ao mesmo tempo, vivem o dilema: não há outra alternativa para a disputa com a oposição em 2014. Depois de dois anos de crise financeira e política, o governador busca consolidar a sua ação administrativa este ano, deixando para dezembro o anúncio sobre uma provável candidatura a novo mandato. Marconi recomendou aos secretários e parlamentares que evitem antecipar o debate sucessório, pois sua estratégia e resgatar os compromissos, em termos de obras, assumidos ainda na campanha de 2010. Levantamento feito pela Rádio730/AM e publicado pelo DM mostra que apenas 19% do plano de Marconi, lançado em 2010, já foi executado.

Se nos dois primeiros governos, Marconi priorizou a inclusão social, com o lançamento de programas como Renda Cidadã, Bolsa Universitária, Bolsa Escola, Cheque-Moradia, a tendência do terceiro mandato é o de dar atenção às obras de infraestrutura, principalmente a pavimentação asfáltica e à área de saúde, com construção de novas unidades hospitalares.

Os dirigentes partidários e coordenadores políticos do governo sustentam que, além de Marconi Perillo, a base aliada não dispõem de nome competitivo para a sucessão estadual de 2014. O governo, raciocinam, é centralizado na figura de Marconi, principal e inquestionável maior liderança política das forças que gravitam em torno do poder.

O vice-governador José Eliton Júnior, que poderia ser alternativa, caso Marconi reflua de seu projeto de concorrer às eleições, vive dificuldades políticas, principalmente em seu partido, o DEM, onde divergente, há algum tempo, com o presidente da legenda, deputado Ronaldo Caiado. José Eliton pode ser mantido na chapa como vice-governador. “Na base, Marconi Perillo é a opção natural para a sucessão estadual, é o sentimento predominante”, opina o vice-governador.

O presidente estadual do PSDB, Paulo de Jesus, é taxativo: nas bases governistas, não se discute outra alternativa, pois Marconi Perillo é candidato natural à reeleição. “Com as obras que vem realizando e com o seu forte carisma popular, Marconi vai disputar a reeleição em 2014”, sustenta. Paulo de Jesus lembra que, no momento certo, o governador vai aceitar o desafio de disputar a sucessão estadual.

O presidente estadual do PSD, Vilmar Rocha, tem opinião semelhante: Marconi concorre a novo mandato de governador, com “apoio unânime” dos partidos que integram a base governista. “Superadas as crises financeira e política de 2011 e 2012, o governo inicia uma nova fase de realizações administrativas, o que consolida o nome de Marconi para concorrer em 2014”.O deputado federal Roberto Balestra, presidente estadual do PP, diz que, nas conversas que mantem com prefeitos e vereadores, de todos os partidos, o sentimento é único: o governador estará nos palanques em 2014 como candidato à reeleição. “Temos que ser sinceros, não há outro nome forte como o de Marconi. Ele, que exerce o terceiro mandato como governador, aglutina mais e tem a força eleitoral para concorrer à sucessão, ano que vem.”

Deputado federal Jovair Arantes, presidente estadual do PTB, concorda que este ano não se deve falar em sucessão estadual e que apenas em janeiro a base aliada estará tratando do tema com o governador Marconi Perillo. Mas reconhece que o governador é a melhor alternativa para enfrentar a oposição, mais uma vez. “Marconi é um grande líder, realiza um ótimo governo e será o candidato da base aliada a governador.”Amigo de longa data de Marconi, Daniel Goulart, secretário estadual de Relações Institucionais, diz que a recomendação do governador não é tratar de sucessão agora, mas, pelos compromissos que tem como a base aliada, “Marconi vai aceitar a convocação para nova disputa de governador.”Sérgio Cardoso, cunhado do governador e secretário estadual de Articulação Política, revela que não há uma só liderança da base aliada, no interior do Estado, que não deseje Marconi como candidato à reeleição. “Converso diariamente com centenas de lideranças políticas e a indagação é a mesma, quando o governador vai confirmar o projeto de reeleição.”

O ex-presidente da Assembleia Legislativa e prefeito de Catalão, Jardel Sebba prepara lançamento da pré-candidatura de Marconi Perillo ao Palácio das Esmeraldas, em evento do PSDB, na Capital. “Goiás não pode ser entregue a uma oposição raivosa e perseguidora como nós temos. Marconi precisa de mais quatro anos para consolidar o projeto de desenvolvimento que realiza, a exemplo do que fez nos dois outros governos.”

O prefeito de Formosa, Itamar Barreto (PSD), aponta Marconi Perillo como a opção natural da base governista para a disputa pelo Palácio das Esmeraldas em 2014. “Com o trabalho administrativo que está realizando, intensificado este ano, Marconi vai caminha para a reeleição.”

Por:

DIÁRIO DA MANHÃ

HELTON LENINE

0 Compart.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *